Carbernet Sauvignon a rainha das uvas tintas

uva

Carbernet Sauvignon a rainha das uvas tintas

 

Uma casca mais grossa do que a maioria das uvas viníferas. O facto de possuírem essa
característica faz com permita esta uva se adapte e proteja as variações climáticas. Daí a ser
uma das preferências para cultivar em todo o mundo.
É uma casta, rica em taninos, sendo assim o excesso de taninos pode causar resultados
negativos no vinho. Ou seja o énologo/produtor desta casta deve ter os conhecimentos para
poder lidar com o excesso de taninos. Caso não seja assim este vinho irá deixar-nos na boca
uma sensação de que comemos por exemplo bananas verdes.
O conselho mais fiável para que isto não aconteça será a colheita tardia, pois assim o fruto
amadurece por completo, os taninos presentes estarão mais suaves facilitando assim o
processo de vinificação.
Esta casta é na verdade especial, pois por ser cultivada em toda a parte do mundo, faz com
que existam características nos vinhos também diferentes mesmo sendo eles feitos da mesma
casta. Vejamos: Quando cultivadas em zonas mais quentes estes vinhos são mais concentrados
e alcoólicos e com taninos mais macios.
Enquanto que em regiões mais frias, costumam predominar aromas de frutos vermelhos e
corpo menos robusto.

Cultivo

Casta que embora se adapte a uma basta/ampla gama de climas e solos, desenvolve as suas
melhores características quando cultivada em solos pobres e rochosos e com climas quentes
no verão. Pois os solos pobres e rochosos favorecem uma melhor drenagem. Fazendo assim
com que a planta vá buscar nutrientes mais profundamente na terra. Além disso e para
melhorar os “pedregulhos” absorvem e irradiam calor do sol, favorecendo assim o
amadurecimento dos bagos.